Bendigam o Senhor todas as suas obras em todos os lugares do seu domínio. Bendiga o Senhor a minha alma!
Salmos 103.22, NVI
A pergunta que fiz ao ex-leproso que veio me agradecer a cura, faço-a diariamente: “Onde estão os outros nove?” (Lc 17.17, NTLH, NVI). Até hoje há pessoas que clamam a mim por algum problema, por alguma angústia, por alguma doença, e que, depois de agraciadas, não dizem uma palavra de agradecimento. Não quero que você faça o mesmo!
A rigor, você deve aprender a gastar tanto tempo agradecendo quanto gasta suplicando. Na verdade, você deve começar suas orações glorificando e dando graças a meu Pai — não com os clamores de cada dia. Não há nenhum pecado em pedir. Eu o tenho encorajado a fazê-lo e tenho prometido ouvir. Ninguém resolve os dramas sem oração. O problema é a ausência de palavras, gestos e obras de ações de graças.
Nas ações de graças, você se dá ao trabalho de agradecer nominalmente (e não por atacado) as manifestações de misericórdia, de amor e de poder do meu Pai em sua vida, na família e na comunidade. Não se esqueça do salmista: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios” (Sl 103.2).
— Farei uma lista dos favores recebidos tão extensa quanto a lista de favores a pedir!

Retirado de Refeições Diárias com Jesus (Editora Ultimato, 2010)
Anúncios