Reproduzo logo abaixo excelente texto do pr.Nelson Bomilcar, publicado no site da revista Cristianismo Hoje em 04/07/11.

Uma Igreja relevante em simplicidade, integridade e serviço influencia sua geração e planta sementes para os que virão depois.

Acolher, ajudar, equipar. Eis aí três ações fundamentais à atividade pastoral. A caminhada ministerial é o desafio constante de tornar prático e simples o compromisso de viver a profundidade, a verdade e a integralidade do Evangelho. É imperioso que líderes cristãos envolvidos com o cuidado e pastoreio de congregações locais e de pessoas que fazem parte do rebanho do Senhor em ministérios e grupos pequenos promovam, diligentemente, ações e conexões entre elas. Todavia, uma realidade muito desfavorável, constituída de religiosidade e alienação, nos confronta constantemente.

O caminho da simplicidade ainda é possível para aqueles que, sinceramente, e de coração aberto e compromissado, se dispõe a seguir a Jesus e os valores do Reino. Valores ensinados pelo Mestre no conhecidíssimo sermão da montanha, registrado nos capítulos 5 a 7 do evangelho e Mateus. Simplicidade daquilo que é profundo e capaz de mudar e transformar a maneira de pensar e ser do homem em qualquer realidade social, religiosa, política e geográfica. Por isso, a mensagem de Cristo é consistente e universal para todas as culturas, raças e etnias. Simplicidade que vai sendo depurada e ampliada pelas lutas e provas na jornada, quando há disposição de viver essa mensagem e a missão que o Filho de Deus nos propõe.

Nas ações pastorais, o acolhimento de pessoas com suas histórias, realidades e heranças singulares é essencial – acolhimento de pessoas diferentes, com temperamentos e opiniões diversas, com seus pecados, dores, frustrações e sucessos também. Neste acolhimento, vamos convidando cada um a entender que temos um só Deus que, ao mesmo tempo, acolhe-se a si mesmo na forma de três personalidades distintas. Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo mostram que é possível este acolhimento em amor, respeito e dignidade. Quem vive essa fé o expressa com uma só alma e pertencendo a uma só Igreja.

Ajudar os cristãos – novos convertidos ou não – na experiência da mutualidade é incentivá-los a ser rebanho e Igreja do Senhor, expressão visível do Reino dos céus aqui na terra. É papel do pastor ajudar as pessoas a aprenderem e considerarem o caminho da meditação, da oração, do perdão, da reconciliação, da comunhão, da adoração e do serviço mútuo. Ajudar a edificar a comunidade de maneira ajustada e equilibrada em amor, sem abandonar ou rejeitar o seu fundamento, Jesus de Nazaré. Ajudar os membros do Corpo a valorizarem seus papéis funcionais como partes fundamentais desse organismo místico, e não desprezarem sua importância, pessoalidade e humanidade. Ajudar pessoas a serem seres humanos melhores e cristãos melhores, mais parecidos com Jesus no que são e fazem, conforme Romanos 8.29, resgatando a imagem de Deus em nós.

Além de acolher e ajudar, o pastoreio e cuidado do rebanho requerem trabalho contínuo e paciente em equipar todo cristão para toda boa obra. Paulo, escrevendo para a igreja na cidade de Éfeso, diz que todos nós somos inspiração do Criador – um poema escrito, desejado e criado em Cristo Jesus para a prática de boas obras. Já Tiago enfatiza que a prática de nossa fé nos torna não somente ouvintes, mas pessoas que entenderam a natureza e essência do Evangelho que deve, sem dúvida, repercutir e resultar em ações concretas de testemunho, serviço, misericórdia e socorro. A integralidade da missão está garantida quando vivenciamos aquilo que cremos e para o que fomos equipados e capacitados.

Em nossa ação pastoral, acolher, ajudar e equipar só é possível pelos recursos inesgotáveis da graça de Deus e da ação contínua do Espírito Santo, que inclinam nossas vontades, intenções e pensamentos na direção do que é essencial ao serviço de Cristo. Assim, a Igreja do Senhor será capacitada a oferecer resposta e servir de referencial para uma sociedade injusta, perversa e violenta. Implantar o Reino de Deus significa, também, inibir os sinais de morte com ações de fé.

Pastorear acolhendo, ajudando e equipando as ovelhas para toda boa obra é uma resposta eficaz à carência de homens e mulheres que de fato desejem seguir os passos e a mensagem de Jesus. São eles que construirão uma Igreja relevante em simplicidade, integridade e serviço – uma Igreja que, com sua presença no mundo, vai ajudar na transformação do caos que a circunda, influenciando sua geração e plantando sementes para os que virão depois.

Uma Igreja relevante em simplicidade, integridade e serviço influencia sua geração e planta sementes para os que virão depois.

http://www.cristianismohoje.com.br/interna.php?id_conteudo=785&utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

 

Anúncios