Sabe quais partes da Bíblia me estimulam mais? São aquelas que falam sobre os homens que Jesus escolheu para seus discípulos. Mas primeiro preste atenção naqueles que o Mestre não chamou. Daqueles que deveriam levar o evangelho ao mundo, Jesus não escolheu nenhum fariseu, saduceu ou escriba, grupos que formavam a elite espiritual. Nenhum. Vamos parar um tempo para assimilar a informação.

Jesus também não escolheu as pessoas de boa aparência, os mais talentosos, os que tinham melhor educação, nem aqueles com maior probabilidade de sucesso. Ele selecionou 12 pessoas comuns, pecadores e inseguras – gente igual a você e a mim.

Ele escolheu alguns pescadores, um coletor de impostos, um contador e um ativista político. Jesus apelidou dois deles de ´filhos do trovão´. Ele não fez isso porque tinham nascido durante uma tempestade. Foi por causa da reputação deles: eram conhecidos pela vida rebelde que levaram.

(…) pense em todas as outras pessoas abaixo do padrão que o Senhor usou. Às vezes, os mais importantes eram aqueles que cometiam os maiores erros. Moisés matou um homem. Abraão era mentiroso. Jacó era trapaceiro. Raabe era prostituta. Davi cometeu adultério. O apóstolo Paulo matava cristãos. E Deus usou todos esses vacilões para realizar coisas grandiosas.

(…) E quanto a você? Se também já cometeu grandes erros, então é forte candidato a ser instrumento de Deus. Sabendo disso, o que precisa fazer? O mesmo que Isaías: confessar seu pecado. Permita que Deus o santifique e perdoe.

Assim que Isaías clamou por misericórdia, um serafim tocou os lábios impuros do profeta com uma brasa viva do altar (onde o cordeiro era sacrificado pelos pecados do povo) e disse: ´… a sua culpa será removida, e o seu pecado será perdoado´(Is.6:7). Logo depois de Isaías receber a graça divina, o Senhor perguntou àquele homem que acabara de ser perdoado: ´Quem enviarei? Quem irá por nós?´. Isaías disse, na mesma hora: ´Eis-me aqui. Envia-me´!´ (v.8). E foi o que Deus fez.

(Groeschel, Craig. Confissões de um pastor, SP, Ed.Mundo Cristão, 2007, p.137-140)

Anúncios